Imagine um mundo sem medo do cancro. Nós imaginamos.

Este sonho conduz tudo o que fazemos. Inspira a nossa missão de aliar o engenho das pessoas ao poder dos dados e da tecnologia para alcançar novas vitórias contra o cancro.

Isto significa novas ideias, novas ferramentas e uma nova esperança. Todos os dias.

Os irmãos Russell e Sigurd Varian trabalharam para desenvolver uma fonte de sinais de micro-ondas fortes para melhorar a navegação aérea e os alertas de eventuais bombardeamentos nazis. A 30 de agosto de 1937, demonstraram a sua invenção: o tubo clistrão, um amplificador de alta frequência para gerar micro-ondas.

1937

A Varian Associates é fundada por um grupo de cientistas com fortes ligações à Universidade de Stanford, incluindo Russell e Sigurd Varian, William Hansen, Edward Ginzton, entre outros.
A empresa é constituída e inicia a sua atividade com 22.000 USD de capital e seis funcionários a tempo inteiro.

1948

Tubos de micro-ondas, aparelhos de indução nuclear e equipamento de teste de micro-ondas são os produtos desenvolvidos no primeiro ano de funcionamento da Varian. A Varian anuncia seu primeiro clistrão comercial, o clistrão de reflexão de saída com guia de ondas X-13, concebido para utilização em laboratórios e como osciladores locais.

1949

A Varian Associates apresenta quatro novos clistrões e um fluxómetro nuclear, que foi o precursor dos instrumentos de ressonância magnética nuclear (NMR, nuclear magnetic resonance) usados na investigação biomédica e industrial atual.

1950

Com um peso de cerca de 90 kg e uma altura de cerca de 1,20 metros, o Klystron V-42 de frequência ultra-alta é o primeiro de uma série de tubos de alta potência da Varian Associates usados em sistemas de comunicação e radar.

1953

A bomba Nobel VacIon é inventada, sendo o primeiro dispositivo eletrónico a funcionar sem líquidos ou peças móveis e ser resistente a falhas de energia. Como não vibrava, era útil para simular condições no espaço. Esta bomba também foi usada em aceleradores de alta energia para a investigação em física e no fabrico de componentes de semicondutores.

1957

Pela primeira vez, é utilizado um acelerador linear da Varian para examinar a integridade estrutural de motores de foguete, num processo denominado ensaio não destrutivo. O primeiro desses aceleradores foi vendido à Marinha dos EUA e utilizado para produzir radiografias de alta qualidade do míssil Polaris.

1959

É lançado o Klystron VA842 da Varian. Este clistrão de radar com várias cavidades e arrefecido por líquido é o maior clistrão de produção documentado. Foi usado no sistema de alerta precoce de mísseis balísticos dos EUA.

A 14 de setembro de 1959, a Varian Associates é introduzida na bolsa de valores de Nova Iorque.

1959 Continuação

A Varian Associates introduz o acelerador linear médico Clinac 6, que foi o primeiro acelerador linear de radioterapia totalmente rotativo comercial produzido nos Estados Unidos. O Clinac 6 conseguia gerar feixes de raio X nitidamente definidos de 6 MV num gantry que podia girar 360 graus ao redor de um doente. Esta máquina define que os aceleradores lineares podem ser utilizados para tratar o cancro.

1960

A Varian funde-se com a Eitel-McCullough de San Carlos, fabricante de tubos de rádio convencionais e alguns tubos de micro-ondas. A “Eimac” tinha atividades de fabricação em Salt Lake City, num local que cresceu para se tornar na atual sede da empresa Imaging Components da Varian.

1965

A Varian entra no mercado dos minicomputadores com a Varian Data Machines e, durante uns tempos, fica posicionada à frente da Hewlett-Packard e da Data General nesse negócio, ficando apenas atrás da Digital Equipment Corporation.

1966

A Varian lança o primeiro acelerador linear médico financeiramente competitivo em relação aos irradiadores de cobalto, o Clinac® 4. Com essa linha de produtos, a unidade de negócios médicos da empresa torna-se lucrativa pela primeira vez.
A Varian apresenta o acelerador Linatron®, uma linha de máquinas industriais que geram raios X de alta energia para testes não destrutivos e rastreio de cargas.

1968

Bombas iónicas, turbobombas e outras tecnologias da Varian têm um papel fundamental na aterragem dos astronautas na lua.

1969

Lançamento do Clinac 18, um acelerador linear médico compacto de alta energia, equipado com um "canhão de eletrões reticulado" que proporciona um controlo sem precedentes das dosagens de radiação. Incluía igualmente um novo tipo de íman de deflexão para produzir feixes de raio X de maior energia para o tratamento, sem aumentar o tamanho da máquina.

1972

A Varian comemora o seu 25º aniversário.

1973

A Varian desenvolve um tomógrafo de corpo inteiro de alta velocidade, capaz de fazer exames transversais por raio X da cabeça e do corpo em apenas seis segundos, reduzindo significativamente o tempo exigido por outros tomógrafos. A unidade de negócio de tomógrafos da Varian acaba por ser vendida à General Electric.

1976

A Varian recebe um Emmy pelo desenvolvimento de um tubo para transmissores de televisão que reduz o consumo de energia das estações de televisão UHF. A empresa também cria um departamento para produzir equipamento de ultrassom. Esse departamento foi mais tarde vendido à Diasonics.

1977

O Clinac 2500 é lançado, sendo o primeiro acelerador linear médico capaz de funcionar em qualquer um de dois níveis de energia amplamente separados, dependendo da profundidade do tumor a atingir.

1981

A Varian apresenta dois novos produtos: o sistema de pulverização 3190, que proporciona uma melhoria de 50% no débito da bolacha para fabricantes de semicondutores, e o sistema de pulverização de disco magnético MDP-1000 para a fabricação de discos rígidos para memórias de computador.

1983

O Dynamic Wedge da Varian dá início a uma nova era para a modelagem dos feixes de raio X de um acelerador linear médico. Fornece uma modelagem de feixes rudimentar, movendo um bloco no colimador primário (um dispositivo na cabeça da máquina através do qual passa a radiação).

1987

A série “C” das máquinas Clinac da Varian tornam a geração e aplicação de feixes de raio X para tratamento totalmente controladas por computador, aumentando a automação e a precisão do tratamento.

1989

A Varian produz o seu primeiro colimador multilâminas (MLC, multileaf collimator) comercial. Trata-se de um dispositivo de modelagem de feixes especial, com 52 placas de metal ou “lâminas” controladas por computador que podem ser ajustadas individualmente para moldar a abertura através da qual passa o feixe de radiação. É suficientemente largo para tratar a maioria dos tumores sem a necessidade de reposicionar o doente.

1990

A Varian lança o seu primeiro software para gerir e documentar processos de tratamento por radioterapia. O sistema de informação VARiS™ fornece aos administradores hospitalares uma documentação completa e atualizada que permite o controlo da qualidade da radioterapia e o apoio à faturação.

A Varian apresenta a tecnologia de aquisição de imagem portal PortalVision™, que permite uma verificação imediata do posicionamento exato do feixe de raio X em relação às referências anatómicas.
Russell e Sigurd Varian entram, postumamente, para o Silicon Valley Engineering Council Hall of Fame.

1993

A Varian começa a distribuir o pós-carga de alta taxa de dose VariSource™, um novo sistema controlado por computador para a braquiterapia (método de tratamento do cancro a partir do interior). Esta tecnologia é usada para colocar temporariamente fontes de radiação minúsculas diretamente dentro ou perto de um tumor.

1994

A Varian lança um acelerador linear, o Clinac 600SR, desenvolvido para aplicações de radiocirurgia. A primeira unidade é instalada no Brigham and Women’s Hospital, em Boston.

1994 Continuação

A Varian anuncia o colimador multilâminas com 80 lâminas para uma melhor precisão de modelagem do feixe.

1995

A Varian apresenta o software de planeamento de tratamentos CadPlan®, que possibilita a utilização de imagens de diagnóstico de um tumor e dos tecidos circundantes e a geração de instruções computadorizadas para atingir o tumor com feixes de raio X de alta intensidade.

1996

A Varian desenvolve o colimador micromultilâminas para radiocirurgia estereotáxica (um método de aplicação de altas doses de radiação num tumor pequeno de maneira muito rápida e precisa). A mesa de tratamento Exact™ é lançada para melhorar a precisão da radioterapia e reduzir o tempo necessário para posicionar os doentes para o tratamento.

A unidade de negócios X-ray Products começa a produzir os detetores de imagem por raio X de painel plano PaxScan®. Os primeiros produtos PaxScan incluíam painéis para aplicações em veterinária, dentária e rastreio de energia dupla.

1996 Continuação

A série EX de aceleradores da Clinac® é apresentada, com colimadores multilâminas integrados, possibilitando as primeiras formas de radioterapia de intensidade modulada (IMRT, intensity-modulated radiation therapy). Esta nova abordagem à radioterapia permite aos médicos moldar e modular o feixe de radiação, de forma a esculpi-lo a três dimensões para que se ajuste ao formato do tumor.

1997

A Varian compra as operações de atendimento e suporte de radioterapia da GE Medical Systems, que incluem uma base instalada de mais de 400 sistemas de aceleradores lineares médicos e 340 produtos de planeamento de tratamento em hospitais e clínicas de todo o mundo.

1997 Continuação

O United States Congressional Record destaca o 50º aniversário da fundação da Varian Associates.
A Varian apresenta o PaxScan VIP-9, o primeiro sistema de aquisição de imagens de fluoroscopia digital da empresa para apoiar tanto a fluoroscopia digital em tempo real como a radiografia. A fluoroscopia envolve a aquisição de várias imagens numa sucessão rápida, para gerar uma imagem em movimento. A Varian também apresenta o detetor de imagem de painel plano PaxScan para a aquisição de imagens 3D em medicina dentária.

1998

A empresa apresenta o seu colimador multilâminas Millennium™ MLC, que oferece a mais alta resolução de modelagem de feixes disponível, e começa a promover o sistema de radioterapia de intensidade modulada (IMRT) SmartBeam™, uma versão melhorada de IMRT que envolve o uso de um software especial que otimiza o plano de tratamento com base na prescrição de dose do médico, juntamente com informações sobre o tamanho, formato e localização do tumor no corpo.

1999

A empresa também apresenta o sistema de gating respiratório RPM™ (Real-Time Position Management - gestão da posição em tempo real) para melhorar a precisão na aquisição de imagens e tratamento de tumores que se movem quando o doente respira. O sistema ativa o feixe de radiação apenas quando o tumor a atingir está dentro de uma área determinada.
A Varian Associates cria uma subsidiária de semicondutores e uma de instrumentos científicos e muda o seu nome para Varian Medical Systems.

1999 Continuação

O departamento X-Ray Products da Varian lança o tubo de tomografia computadorizada mais potente do mundo. O tubo Snowbird introduz cinco inovações patenteadas no desenho do tubo para responder aos requisitos de uma aquisição rápida de imagens em alta resolução pela próxima geração de TC multicorte em meio segundo.
A Varian apresenta o primeiro detetor de imagem de painel plano por raio X para radiografia digital, para o mercado veterinário.

1999 Continuação

A Varian recebe autorização da FDA para uma importante atualização do sistema de informação VARiS®, que evoluiu para se tornar numa base de dados principal que facilita a gestão de todos os dados dos doentes.
A unidade de negócios X-ray Products da Varian desenvolve um desenho exclusivo de uma estrutura integral para tubos de raio X compactos, leves e sem óleo para ser usada em mamografia e tomografia computadorizada. A mesma unidade de negócios também assume as operações de fabrico dos detetores de imagem de painel plano por raio X PaxScan® da empresa, mudando a sua produção para Salt Lake City.

2000

A Varian lança o software de planeamento de tratamento Eclipse™, o primeiro sistema baseado em Windows para o planeamento de tratamento de alto desempenho na radioterapia oncológica.

2001

A empresa adiciona um módulo Helios™ ao sistema Eclipse, para executar milhões de cálculos de modo a produzir um plano de tratamento por radiação “invertido”, que começa com base no resultado desejado e trabalha "para trás", determinando a melhor forma de o atingir. A Varian também adquire uma nova linha de dispositivos de carga diferida GammaMed™ para a aplicação de braquiterapia de alta taxa de dose (HDR, high dose rate).

2002

A Varian muda as operações da unidade de negócios Security and Industrial Products de Palo Alto para Las Vegas, Nevada. Essas instalações foram projetadas para a produção das máquinas de raio X Linatron® de alta energia, usadas em sistemas para testes não destrutivos e rastreio de mercadorias.

2002 Continuação

A Varian apresenta o sistema de radioterapia guiada por imagem (IGRT, image guided radiation therapy) Dynamic Targeting™, que é incorporado no dispositivo On-Board Imager® da empresa para um posicionamento automático do doente, guiado por imagem. A Varian também divulga o acelerador linear Trilogy™, a primeira máquina de radioterapia otimizada para as abordagens convencional e estereotáxica para o tratamento do cancro.

2003

É apresentado o primeiro detetor de painel plano portátil para aplicações de segurança, projetado para a aquisição de imagens a alta velocidade no terreno, a fim de identificar rapidamente o conteúdo de embalagens suspeitas.

2003 Continuação

O dispositivo On-Board Imager® é atualizado com novas ferramentas para a aquisição de imagens tridimensionais e deteção automática de marcadores de referência implantados num tumor, e ainda com ferramentas para monitorizar e compensar o movimento do tumor durante a aquisição da imagem.

A Varian também adquire um software para a gestão de tratamentos de oncologia médica e adiciona-o, como um módulo, ao sistema de gestão de informação VARiS.

2004

A empresa apresentou igualmente o Clinac® iX, uma plataforma de tecnologia ergonómica e personalizável para o tratamento do cancro com IGRT.

A Varian lança dois novos detetores de imagem PaxScan: um para ser usado em sistemas de rastreio cardíaco e eo segundo para ser usado no dispositivo On-Board Imager® da Varian para radioterapia guiada por imagem. Este último painel é capaz de gerar uma imagem de TC de feixe cónico (uma imagem tridimensional que apresenta excelente contraste do tecido mole).

2004 Continuação

A Varian cria o sistema de informação de oncologia ARIA®, para uma gestão sem papel e sem filme dos dados e processos clínicos dos doentes em clínicas de tratamento de cancro.
A unidade de negócios X-ray Products da empresa apresenta o detetor de imagem de painel plano por raio X PaxScan 1313, desenvolvido para aquisição de imagem de baixo custo e alta qualidade, em aplicações dentárias e ortopédicas, assim como em sistemas de inspeção de semicondutores. 

2005

A Varian lança o acelerador Linatron® K9, um novo tipo de acelerador linear de raio X que possibilita que os sistemas de rastreio de mercadorias alertem automaticamente os operadores caso sejam detetados materiais suspeitos. O K9 possibilita a utilização de um software de análise de imagens para analisar os raios X e identificar a natureza dos materiais digitalizados.

2005 Continuação

A Varian apresenta a máquina Trilogy Tx™, otimizada para radiocirurgia estereotáxica guiada por imagem.

O dispositivo On-Board Imager da Varian para radioterapia guiada por imagem recebe um prémio R&D 100 de 2006, que reconhecem os 100 produtos mais inovadores do ano.

2006

A Varian conclui a adição de cerca de 6.700 metros quadrados às suas instalações de Salt Lake City, para intensificar a produção dos detetores digitais de painel plano PaxScan® da empresa, para a aquisição de imagem por raio X sem filme, e apresenta um novo painel para o mercado de aquisição de imagem equinos (mercado veterinário).

2006 Continuação

A Varian lança a radioterapia RapidArc®, uma nova dimensão em velocidade e precisão. RapidArc é uma inovação importante que reduz significativamente a duração dos tratamentos de IMRT.
A Varian conclui a construção de uma fábrica em Pequim, China.

2007

A Varian adquire a Bio-Imaging Research, um fornecedor de produtos de aquisição de imagem por raio X para segurança e inspeção, de modo a poder oferecer aos seus clientes soluções mais completas para o rastreio de transporte de mercadorias, a inspeção industrial e os testes não destrutivos.

A Varian entrou igualmente no mercado de sistemas de terapia de protões quando adquiriu a ACCEL Instruments, uma fornecedora privada de sistemas de terapia de protões, e começou a trabalhar para produzir um sistema comercialmente viável para terapia de protões de intensidade modulada (IMPT). A Varian é incluída no índice Fortune 1000 e torna-se membro do índice de ações S&P 500 da Standard & Poor.

2007 Continuação

A Varian trabalha em conjunto com a BrainLAB para apresentar o Novalis Tx™, uma plataforma de radiocirurgia que incorpora a melhor tecnologia das duas empresas, incluindo um novo colimador multilâminas de alta definição HD-120 para tratamentos de radiocirurgia extremamente precisos.

A unidade de negócios X-ray Products da Varian apresenta o primeiro detetor de imagem de painel plano PaxScan do tamanho de uma cassete analógica e um painel maior otimizado para radiografias ao tórax.  Com estes detetores, permite aos clientes converter sistemas de aquisição de imagem analógica (pelicula radiográfica) em processos de aquisição digital.

2007 Continuação

A Varian lança o sistema de arcoterapia volumétrica RapidArc, que acelera significativamente a aplicação de radioterapia de intensidade modulada guiada por imagem, ao aplicar a dose numa rotação ou rotações contínuas da máquina de tratamento ao redor do doente.

2008

Uma nova ferramenta de “Smart Segmentation” adicionada ao software de planeamento de tratamento Eclipse da Varian ganha um prémio R&D 100. Essa ferramenta é um utilitário de contorno automático que ajuda os médicos a identificar estruturas nas imagens de diagnóstico, reduzindo significativamente o tempo necessário para desenvolver um plano de tratamento de radioterapia.

2008 Continuação

A Varian expande a sede do grupo de produtos Security and Inspection em Las Vegas e aumenta a capacidade de fabrico nesse local.

A empresa lança o Linatron Mi, combinado com um painel de radiografia digital PaxScan, para a discriminação de materiais em sistemas de rastreio de mercadorias.

2008 Continuação

A Varian lança o seu primeiro detetor de painel PaxScan criado especificamente para procedimentos de angiografia de intervenção, e ainda um novo painel mais compacto para a aquisição de imagem em 3D na medicina dentária.

2009

A Varian apresenta o sistema TrueBeam® para radioterapia e radiocirurgia. Projetado para tratar tumores em movimento com velocidade e precisão sem precedentes, o sistema TrueBeam incorpora várias inovações técnicas que sincronizam dinamicamente a aquisição de imagens, o posicionamento do doente, o controlo de movimentos e a administração do tratamento.

2010

A divisão Particle Therapy da Varian  apresenta o sistema de terapia de protões ProBeam™, com soluções integradas para a aquisição de imagens, gating, posicionamento robótico do doente, planeamento do tratamento e gestão de informação.

A divisão Security and Inspection Products da Varian apresenta máquinas Linatron de baixa dose de raios-X para a inspeção de mercadorias portátil e móvel.

A Varian e a Universidade de Stanford ganham uma bolsa de investigação da NIH/NCI de cinco anos, no valor de 3,6 milhões de dólares americanos, para desenvolver tecnologia avançada de aquisição de imagem.

2010 Continuação

O sistema TrueBeam recebe um prestigioso prémio R&D 100 e o prémio Red Dot Product Design.

2011

A Varian apresenta o conjunto de aplicações de radiocirurgia Edge™ e torna-se no maior fornecedor de software de oncologia do mundo, com mais de 3.300 instalações do Eclipse™ e ARIA em todo o mundo.

A empresa funde os seus grupos X-ray Products e Security and Inspection Products para criar uma nova unidade de negócio chamada Imaging Components Businesses, que oferece aos clientes uma ampla variedade de produtos, desde tubos de raio X e detetores digitais a soluções industriais e de segurança.

2012

A Varian adquire a InfiMed Inc., um fornecedor de estações de trabalho que incluem um software para processamento de imagens de diagnóstico obtidas por raio X. A associação dos produtos da Varian e da InfiMed torna a Varian um fornecedor completo de tubos de raio X, detetores de imagem de painel plano, software e estações de trabalho.

É lançado o primeiro painel radiográfico PaxScan portátil sem fios.

2012 Continuação

No seu 65º aniversário, a Varian tem mais de 6.200 funcionários a trabalhar em conjunto com o objetivo de ajudar a salvar milhões de vidas por todo o mundo, todos os anos. A empresa expandiu-se globalmente, estando em mais de 80 centros nos cinco continentes, e detendo mais de 520 patentes ativas mundialmente.

A Varian lança um novo tubo de raio X para ser usado em sistemas de mamografia digital, e um detetor de imagem digital de painel plano por raio X leve e sem fios, para a aquisição de imagens de extremidades e para procedimentos neonatais.

2013

A Varian apresenta um novo software focado no uso da informática da saúde para criar soluções baseadas no conhecimento para todo o espectro oncológico, desde o diagnóstico até à sobrevivência. É lançado um software baseado no conhecimento, o RapidPlan, para agilizar a criação de planos de tratamento complexos com IMRT e, simultaneamente, reduzir a variabilidade da qualidade dos planos.

A Varian começa a oferecer um software de aquisição de imagem (3D) por TC de feixe cónico para ser usado com detetores de imagem de painel plano por raio X PaxScan. Deste modo, os fabricantes de equipamento podem desenvolver rapidamente sistemas para usar em aplicações médicas, de medicina dentária ou industriais.

2013 Continuação

A Varian conclui a instalação do primeiro sistema ProBeam™ completo, para a terapia de protões no Scripps Proton Therapy Center em San Diego.A Varian conclui a instalação do primeiro sistema ProBeam™ completo, para a terapia de protões no Scripps Proton Therapy Center em San Diego, Califórnia. Os tratamentos de doentes tiveram inicio.

A Varian apresenta o sistema de terapia de protões para uma única sala ProBeam® Compact.

2014

A Varian adquire os ativos da Velocity Medical Solutions, LLC, uma empresa de desenvolvimento de software especializado, para clínicas de tratamento de cancro, sediada em Atlanta. A plataforma de software Velocity é projetada para possibilitar a tomada de decisões clínicas com base em dados.

A Varian apresenta o seu primeiro detetor de imagem digital de painel plano por raio X de campo total para uso em sistemas de mamografia.

2014 Continuação

A Varian lança o VitalBeam™ para facilitar o acesso à radioterapia avançada. A nova plataforma beneficia da melhor tecnologia Varian, incorporando muitas das inovações desenvolvidas para a plataforma TrueBeam®, oferecendo aos centros clínicos uma opção com custo competitivo, para o tratamento do cancro guiado por imagem.

2015

Foi tratado o primeiro doente oncológico utilizando a radioterapia de alta definição (HDRT) HyperArc™ da Varian, um novo tipo de tratamento radiocirúrgico. Com o HyperArc, os médicos podem administar dosagens mais compactas de radiação que se adaptem melhor ao tamanho, forma e localização dos tumores, poupando os tecidos saudáveis adjacentes.

2017

A Varian apresentou o sistema Halcyon™, concebido para revolucionar o fluxo de trabalho clínico. O Halcyon simplifica e melhora praticamente todos os aspetos da radioterapia de intensidade modulada (IMRT) volumétrica guiada por imagem. Este sistema está concebido para aumentar a disponibilidade mundial do tratamento oncológico de elevada qualidade.

2017 Continuação

A Varian apresenta o 360 Oncology™, uma plataforma de gestão global do tratamento de oncologia. Este é o primeiro software desenvolvido para integrar e coordenar os elementos chave do tratamento do cancro, permitindo que os doentes e equipa oncológica colaborem e juntos alcancem os melhores resultados.

DE 2016

9K

Colaboradores

34

Localizações em todo o mundo

71

anos de inovação

Ser um cidadão corporativo responsável não é uma escolha, é um modo de vida.

— Dow Wilson, CEO

A tecnologia só por si não derrotará o cancro. Precisamos de si.

Explore as carreiras