Imagine um mundo em que ninguém tem medo do câncer. Nós imaginamos.

Essa visão direciona tudo o que fazemos. Ela inspira a nossa missão: associar a capacidade de inovação das pessoas com o poder dos dados e da tecnologia para alcançar novas vitórias contra o câncer.

Isso significa novas ideias, novas ferramentas e novas esperanças. Todos os dias.

Os irmãos Russell e Sigurd Varian trabalharam no desenvolvimento de uma fonte de sinais fortes de micro-ondas para melhorar a navegação aérea e a prevenção de possíveis ataques surpresa de bombas nazistas. Em 30 de agosto de 1937, eles demonstraram sua invenção: o tubo klystron, um amplificador de alta frequência para gerar micro-ondas.

1937

A Varian Associates é fundada por um grupo de cientistas com fortes ligações com a Stanford University, como Russell e Sigurd Varian, William Hansen, Edward Ginzton, entre outros.
A empresa é incorporada e aberta aos negócios com US$ 22.000 de capital e seis funcionários em tempo integral.

1948

Tubos de micro-ondas, aparelhos de indução nuclear e equipamento de teste de micro-ondas foram os produtos desenvolvidos durante o primeiro ano da Varian. A Varian anuncia seu primeiro klystron comercial, o klystron reflexo de saída com guia de ondas X-13, projetado para uso em laboratórios e como osciladores locais.

1949

A Varian Associates apresenta quatro novos klystrons e um fluxômetro nuclear, precursor dos instrumentos de NMR (Nuclear Magnetic Resonance — ressonância magnética nuclear) usados na pesquisa biomédica e industrial atual.

1950

Pesando 90 kg e medindo 1,2 metros de altura, o Klystron V-42 de alta frequência é o primeiro de uma série de tubos de alta potência da Varian Associates usados em sistemas de comunicação e radar.

1953

É inventada a bomba Nobel VacIon, primeiro dispositivo eletrônico a funcionar sem fluidos ou peças móveis e resistente a falhas de energia. Por ser livre de vibração, ele é útil para simular condições no espaço. Essa bomba também foi usada em aceleradores de alta energia para pesquisa em física e na fabricação de componentes de semicondutores.

1957

Um acelerador linear da Varian é usado pela primeira vez para examinar a integridade estrutural de motores de foguete em um processo chamado de teste não destrutivo. A primeira dessa unidades foi vendida para a Marinha dos EUA e usada para produzir radiografias de alta qualidade do míssil Polaris.

1959

Foi lançado o Klystron VA842 da Varian. Esse klystron de radar resfriado a líquido com várias cavidades é o maior klystron de produção documentado. Ele foi usado no sistema de alerta precoce do míssil de balística do país.

Em 14 de setembro de 1959, a Varian Associates tem suas ações registradas na Bolsa de Valores de Nova Iorque.

1959 Continuação

A Varian Associates lança o acelerador linear médico Clinac 6, primeiro acelerador linear de radioterapia comercial totalmente rotativo produzido nos Estados Unidos. O Clinac 6 poderia gerar feixes nitidamente definidos de raios X de 6 MV em um gantry que poderia ser girado 360 graus ao redor do paciente. Essa máquina confirma que os aceleradores lineares podem ser usados para tratar o câncer.

1960

A Varian é fundida com a Eitel-McCullough de San Carlos, fabricante de tubos de rádio convencionais e alguns tubos de microondas. A “Eimac” tinha operações de fabricação em Salt Lake City, uma unidade que se desenvolveu para o que hoje é conhecido como a sede da unidade de negócios Imaging Components da Varian.

1965

A Varian entra no mercado de minicomputadores com a Varian Data Machines e, por um tempo, fica à frente da Hewlett-Packard e da Data General nesse negócio, atrás somente da Digital Equipment Corporation.

1966

A Varian lança o primeiro acelerador linear médico financeiramente competitivo com irradiadores de cobalto, o Clinac® 4. Com essa linha de produtos, os negócios médicos da empresa se tornam lucrativos pela primeira vez.
A Varian lança o acelerador Linatron®, uma linha de máquinas industriais que produz raios X de alta energia para testes não destrutivos e varredura de carga.

1968

Bombas de íons, bombas turbo e outras tecnologias da Varian têm papel fundamental para o pouso dos astronautas na lua.

1969

É lançado o Clinac 18, um acelerador linear médico compacto de alta energia equipado com um "canhão de elétrons em rede" que proporciona controle inédito sobre as doses de radiação. Ele também apresenta um novo tipo de ímã de deflexão para produzir feixes de tratamento por raio-X de energia mais alta sem aumentar o tamanho da máquina.

1972

A Varian comemora seu 25º aniversário.

1973

A Varian desenvolve um tomógrafo de corpo inteiro e alta velocidade capaz de fazer exames de raio-X transversalmente da cabeça e do corpo em apenas seis segundos, reduzindo significativamente o tempo exigido por outros tomógrafos. No final, a unidade de negócios CT Scanner da Varian é vendida para a General Electric.

1976

A Varian recebe o Emmy Award pelo desenvolvimento de um tubo de transmissor de TV que reduz o consumo de energia das estações de TV UHF. A empresa também cria uma divisão para produzir equipamento de ultrassom. Posteriormente, essa divisão é vendida para a Diasonics.

1977

O Clinac 2500 é lançado; o primeiro acelerador linear médico capaz de operar em qualquer de dois níveis de energia amplamente sepaarados, dependendo da profundidade do tumor visado.

1981

A Varian apresenta dois novos produtos: o sistema de pulverização 3190, que proporciona uma melhoria de 50% em rendimento de pastilha para fabricantes de semicondutores e o sistema de pulverização de disco magnético MDP-1000 para fabricação de discos rígidos para memórias de computador.

1983

O Dynamic Wedge da Varian inaugura uma nova era de modelagem dos feixes de raio-X de um acelerador linear médico. Ele fornece uma modelagem de feixes rudimentar, movendo um bloco no colimador primário — um dispositivo na cabeça da máquina através do qual passa a radiação.

1987

As máquinas Clinac série “C” da Varian colocam a geração e aplicação de feixes de raio-X de tratamento totalmente sob controle por computador, aumentando a automação e a precisão do tratamento.

1989

A Varian produz seu primeiro MLC (Multileaf Collimator — colimador multilâminas) comercial. Trata-se de um dispositivo de modelagem de feixe especial que tem 52 placas de metal controladas por computador ou “lâminas” que podem ser ajustadas individualmente para moldar a abertura por meio da qual passa o feixe de radiação. Ela é suficientemente larga para tratar a maioria dos tumores sem a necessidade de reposicionar o paciente.

1990

A Varian lança seu primeiro software para controle e documentação de processos de tratamento por radioterapia. O sistema de informações VARiS™ fornece aos administradores de hospitais uma documentação completa e atualizada para o controle de qualidade da radioterapia e o suporte ao faturamento.

A Varian apresenta a tecnologia de imagens de portal PortalVision™ para verificação imediata do posicionamento exato do feixe de raio-X em relação a referências anatômicas.
Russell e Sigurd Varian são nomeados postumamente ao Silicon Valley Engineering Council Hall of Fame.

1993

A Varian começa a entregar o afterloader de alta taxa de dose VariSource™, um novo sistema controlado por computador para braquiterapia — um método de tratamento do câncer a partir do interior. Essa tecnologia é usada para colocar temporariamente minúsculas fontes de radiação diretamente dentro ou perto de um tumor.

1994

A Varian lança um acelerador linear — o Clinac 600SR — dedicado a aplicações de radiocirurgia. A primeira unidade é instalada no Brigham and Women’s Hospital, em Boston.

1994 Continuação

A Varian anuncia o colimador multilâminas com 80 lâminas para melhor precisão de modelagem do feixe.

1995

A Varian apresenta o software de planejamento de tratamento CadPlan®, que possibilita o uso de imagens de diagnóstico de um tumor e dos tecidos circundantes e a geração de instruções computadorizadas para atacar o tumor com feixes de raio-X de alta intensidade.

1996

A Varian desenvolve o colimador micro-multilâminas para radiocirurgia estereotática — um método de aplicação de altas doses de radiação em um tumor pequeno de maneira muito rápida e precisa. A mesa de tratamento Exact™ é lançada para melhorar a precisão da radioterapia e reduzir o tempo necessário para arrumar os pacientes para o tratamento.

A unidade de negócios X-ray Products começa a produção de detectores de imagem de raio-X de tela plana PaxScan®. Os primeiros produtos PaxScan incluíam telas para aplicações de varredura de energia dupla, odontológicas e veterinárias.

1996 Continuação

A série EX de aceleradores Clinac® é apresentada com colimadores multilâminas integrados para possibilitar as primeiras formas de IMRT (Intensity-Modulated Radiation Therapy — radioterapia de intensidade modulada). Essa nova abordagem à radioterapia permite que os médicos moldem e modulem o feixe de radiação para esculpi-lo em três dimensões de modo que ele se ajuste ao formato do tumor.

1997

A Varian compra as operações de atendimento e suporte de radioterapia da GE Medical Systems, que abrange uma base instalada de mais de 400 sistemas de aceleradores lineares médicos e 340 produtos de planejamento de tratamento em hospitais e clínicas de todo o mundo.

1997 Continuação

O United States Congressional Record lembra o 50º aniversário da fundação da Varian Associates.
A Varian apresenta o PaxScan VIP-9, primeiro módulo de criação de imagens de fluoroscopia digital da empresa com suporte a fluoroscopia digital em tempo real e também a radiografia. A fluoroscopia envolve a tomada de várias imagens em rápida sucessão a fim de gerar uma imagem em movimento. A Varian também apresenta o detector de imagem de tela plana PaxScan para a aquisição de imagens odontológicas 3D.

1998

A empresa apresenta seu colimador multilâminas Millennium™, com a mais alta resolução de modelagem de feixe disponível, e começa a promover a IMRT SmartBeam™, um aprimoramento da IMRT que envolve o uso de um software especial que otimiza o plano de tratamento com base na prescrição de dose do médico, junto com informações sobre o tamanho, formato e localização do tumor no corpo.

1999

A empresa também está lançando o sistema de gating respiratório RPM™ (Real-Time Position Management - controle de posição em tempo real) para melhorar a precisão ao coletar imagens e tratar tumores que se movem quando o paciente respira. O sistema atua como “porta” ou ativa o feixe de radiação somente quando o tumor visado está dentro da área prescrita.
Varian Associates apresenta como derivada a empresa de semicondutores e instrumentos científicos e muda seu nome para Varian Medical Systems.

1999 Continuação

Divisão X-Ray Products da Varian lança o tubo de tomografia computadorizada mais avançado do mundo. O tubo Snowbird utiliza cinco avanços patenteados em projeto de tubo para atender aos requisitos de coleta rápida de imagens em alta resolução pela próxima geração de tomógrafos multilâminas em meio segundo.
Varian apresenta primeiro detector de imagens de raio-X de tela plana para radiografia digital para o mercado veterinário.

1999 Continuação

A Varian recebe a autorização da FDA para um importante upgrade do sistema de informações VARiS®, que evoluiu para tornar-se um banco de dados mestre e facilitar o controle de todos os dados de pacientes.
A unidade de negócios X-ray Products da Varian desenvolve um projeto exclusivo de gabinete integral para tubos de raio-X compactos, leves e sem óleo para uso em mamografia e tomografia computadorizada. Essa unidade de negócios também assume as operações de fabricação dos detectores de imagem de raio-X de tela plana PaxScan® da empresa, mudando a produção para Salt Lake City.

2000

A Varian lança o software de planejamento de tratamento Eclipse™, o primeiro sistema de planejamento de tratamento de alto desempenho baseado em Windows para radioterapia do câncer.

2001

A empresa adiciona um módulo Helios™ ao sistema Eclipse para executar milhões de cálculos e produzir um plano de tratamento por radiação “invertido”, que começa com o resultado desejado e funciona para trás para determinar a melhor forma de atingi-lo. A Varian também adquire uma nova linha de afterloaders GammaMed™ para aplicação de braquiterapia HDR (High-Dose-Rate — alta taxa de dose).

2002

A Varian muda as operações da unidade de negócios Security and Industrial Products de Palo Alto, Califórnia para Las Vegas, Nevada. Essas instalações foram projetadas para a produção das máquinas de raio-X Linatron® de alta energia usadas em sistemas para testes não destrutivos e varredura de carga.

2002 Continuação

A Varian apresenta a IGRT (Image Guided Radiation Therapy — radioterapia guiada por imagem) Dynamic Targeting™, incorporada ao dispositivo On-Board Imager® da empresa para o posicionamento automático guiado por imagem do paciente. A Varian também divulga o acelerador linear Trilogy™, primeira máquina de radioterapia otimizada para as abordagens convencional e estereostática ao tratamento do câncer.

2003

É lançado o primeiro detector portátil de tela plana para aplicações de segurança, projetado para captação de imagens de alta velocidade em campo, a fim de identificar rapidamente o conteúdo de pacotes suspeitos.

2003 Continuação

O dispositivo On-Board Imager® foi atualizado com novas ferramentas para captação de imagens tridimensionais, detecção automática de marcadores fiduciais implantados em um tumor, assim como ferramentas para monitorar e compensar o movimento do tumor durante a captação da imagem.

A Varian também adquire software para controle de tratamentos de oncologia médica e o adiciona, como um módulo, ao sistema de controle de informações VARiS.

2004

A empresa também lança o Clinac® iX, uma plataforma de tecnologia ergonômica e personalizável para o tratamento de câncer com radioterapia guiada por imagem.

A Varian lança dois novos módulos de criação de imagens PaxScan: 1) para uso em sistemas de varredura cardíaca, 2) para uso no próprio dispositivo On-Board Imager® da Varian para radioterapia guiada por imagem. Essa última tela é capaz de gerar uma imagem de CT de feixe cônico — uma imagem tridimensional que apresenta excelente contraste do tecido macio

2004 Continuação

A Varian cria o ARIA® Oncology Information System para o controle, sem papel e sem filme, dos dados e processos clínicos de pacientes na clínica de tratamento de câncer.
A unidade de negócios X-ray Products da empresa distribui o detector de imagem de raio-X de tela plana PaxScan 1313, criado para a aquisição de imagens de baixo custo e alta qualidade em aplicações odontológicas e ortopédicas, assim como em sistemas de inspeção de semicondutores.

2005

A Varian lança o acelerador Linatron® K9, um novo tipo de acelerador linear de raios-X que possibilita que os sistemas de varredura de carga alertem os operadores automaticamente caso sejam detectados materiais suspeitos. O K9 possibilita usar um software de análise de imagens para analisar raios-X e identificar a natureza dos materiais escaneados.

2005 Continuação

A Varian apresenta a máquina Trilogy Tx™, otimizada para radiocirurgia estereotática guiada por imagem.

O dispositivo On-Board Imager da Varian para radioterapia guiada por imagem recebe o prêmio R&D 100 de 2006, em reconhecimento aos 100 produtos mais inovadores do ano.

2006

A Varian conclui a adição de 6.700 metros quadrados a suas instalações de Salt Lake City para intensificar a produção dos detectores digitais de tela plana PaxScan® da empresa para aquisição de imagens de raio-X sem filme e apresenta uma nova tela para o mercado de imagens equinas.

2006 Continuação

Varian lança a radioterapia RapidArc® - a próxima dimensão em velocidade e precisão. RapidArc representa um avanço importante, que reduz significativamente a duração dos tratamentos de IMRT.
Varian conclui a construção de uma fábrica em Pequim, China.

2007

Varian adquire a Bio-Imaging Research, fornecedora de produtos de imagens de raio-X para segurança e inspeção, a fim de oferecer a seus clientes soluções mais completas para triagem de carga, inspeção industrial e testes não destrutivos.

A Varian também entra no mercado de sistemas de protonterapia com a aquisição da ACCEL Instruments, fornecedora privada de sistemas de terapia por prótons, e começa a trabalhar para produzir um sistema comercialmente viável de IMPT (Intensity-Modulated Proton Therapy — terapia por prótons modulada por intensidade). A Varian entra na lista Fortune 1000 e se torna membro do índice de ações S&P 500 da Standard & Poor.

2007 Continuação

A Varian trabalha com a BrainLAB para lançar o Novalis Tx™, uma plataforma de radiocirurgia que incorpora a melhor tecnologia das duas empresas, incluindo o novo colimador multilâminas de alta definição HD-120 para tratamentos de radiocirurgia extremamente precisos.

A unidade de negócios X-ray Products da Varian apresenta o primeiro detector de imagem de tela plana PaxScan com tamanho de um cassete e uma tela maior otimizada para raio-X de tórax estático. Com esses detectores, os clientes conseguiram converter sistemas de imagens com base em filme para processos digitais.

2007 Continuação

Varian lança o sistema de terapia em arco dinâmico RapidArc para acelerar significativamente a aplicação de radioterapia de intensidade modulada guiada por imagem, aplicando a dose em uma rotação ou rotações contínuas da máquina de tratamento ao redor do paciente.

2008

A nova ferramenta “Smart Segmentation” adicionada ao software de planejamento de tratamento Eclipse da Varian ganha prêmio R&D 100. Essa ferramenta é um utilitário de contorno automático que ajuda os médicos a identificar estruturas nas imagens de diagnóstico, reduzindo significativamente o tempo necessário para desenvolver um plano de tratamento de radioterapia.

2008 Continuação

Varian expande a sede do grupo de produtos Security and Inspection em Las Vegas e aumenta a capacidade de fabricação da unidade.

A empresa lança o Linatron Mi, combinado com uma tela de radiografia digital PaxScan, para discriminação de materiais em sistemas de varredura de carga.

2008 Continuação

A Varian lança sua primeira tela PaxScan, criada especificamente para procedimentos de angiografia interventora, assim como uma nova tela mais compacta para imagens odontológicas 3D.

2009

A Varian lança o sistema TrueBeam® para radioterapia e radiocirurgia. Projetado para tratar tumores em movimento com velocidade e precisão inigualáveis, o sistema TrueBeam incorpora várias inovações técnicas que sincronizam dinamicamente imagens, posicionamento do paciente, controle de movimento e aplicação de tratamento.

2010

O grupo Particle Therapy da empresa apresenta o sistema de protonterapia ProBeam™, com soluções integradas para aquisição de imagens, gating, posicionamento robótico do paciente, planejamento de tratamento e controle de informações.

O grupo Security and Inspection Products da Varian lança as máquinas Linatron de baixa dose para a inspeção de cargas portátil e móvel.

A Varian e a Stanford University ganham US$ 3,6 milhões em bolsa de pesquisa de cinco anos da NIH/NCI para desenvolver tecnologia avançada de imagens.

2010 Continuação

O sistema TrueBeam recebe o prestigioso prêmio R&D 100 e também o prêmio Red Dot Product Design.

2011

Varian lança o pacote de radiocirurgia Edge™ e torna-se o maior provedor de software de oncologia do mundo, com mais de 3.300 instalações do Eclipse™ e ARIA em todo o mundo.
A empresa une seus grupos X-ray Products e Security and Inspection Products para criar o novo segmento de unidades de negócios Imaging Components, que oferece aos clientes uma grande variedade de produtos, de tubos de raio-X e detectores digitais a soluções industriais e de segurança.

2012

A Varian adquire a InfiMed Inc., fornecedora de estações de trabalho que incluem software para processamento de imagens de raio-X de diagnóstico. A associação dos produtos da Varian e da InfiMed torna a Varian um fornecedor completo de tubos de raio-X, detectores de imagem de tela plana, software e estações de trabalho.
É lançada a primeira tela radiográfica PaxScan portátil sem fio.

2012 Continuação

Em seu 65º aniversário, a Varian tem mais de 6.200 funcionários trabalhando juntos com a meta de ajudar a salvar milhões de vidas por ano ao redor do mundo. A empresa se expandiu internacionalmente, chegando a mais de 80 locais em cinco continentes, e detém mais de 520 patentes ativas no mundo todo.
Varian lança um novo tubo de raio-X para uso em sistemas de mamografia digital, além de um detector de imagem de raio-X digital de tela plana leve e sem fio para a captação de imagens de extremidades e procedimentos neonatais.

2013

A Varian lança um novo software voltado ao uso da informática de saúde para criar soluções com base em conhecimento para todo o espectro oncológico, do diagnóstico à taxa de sobrevida. Um software com base em conhecimento, o RapidPlan, é apresentado para acelerar a criação de planos complexos de tratamento de IMRT e, ao mesmo tempo, reduzir a variabilidade na qualidade dos planos.
A Varian começa a oferecer software de imagens de TC de feixe cônico (3D) para uso com detectores de imagem de raio-X de tela plana PaxScan. Assim, os fabricantes de equipamento podem desenvolver rapidamente sistemas para uso em aplicações médicas, odontológicas ou industriais.

2013 Continuação

A Varian conclui a instalação do primeiro sistema ProBeam™ completo da empresa para a protonterapia no Scripps Proton Therapy Center em San Diego. Os tratamentos de pacientes começam.

A Varian lança o sistema de protonterapia de sala única ProBeam® Compact.

2014

A Varian adquire os ativos da Velocity Medical Solutions, LLC, desenvolvedora de software especializado para clínicas de tratamento de câncer sediado em Atlanta. A plataforma de software Velocity é projetada para possibilitar a tomada de decisões clínicas orientada por dados.

A Varian lança o primeiro detector de imagem de raio-X de tela plana digital de campo total para uso em sistemas de mamografia.

2014 Continuação

A Varian lança o VitalBeam™ para radioterapia avançada acessível. A nova plataforma implementa a melhor tecnologia da Varian, incorporando muitas inovações desenvolvidas para a plataforma TrueBeam® a fim de oferecer às clínicas uma opção rentável para o tratamento do câncer guiado por imagem.

2015

A Varian apresentou a plataforma de gerenciamento de tratamento 360 Oncology™, o primeiro sistema de software projetado para integrar e coordenar elementos-chave do tratamento do câncer para que os pacientes e suas equipes de tratamento possam colaborar para obter melhores resultados.

2016

O primeiro paciente com câncer foi tratado com a HyperArc™ High Definition Radiotherapy (HDRT) da Varian, um novo tipo de tratamento por radiocirurgia. Com o HyperArc, os profissionais de saúde podem oferecer doses de radiação mais compactas que se adaptam de modo mais eficaz ao tamanho, formato e localização dos tumores, preservando os tecidos saudáveis adjacentes.

2017

A Varian apresentou o sistema Halcyon™,projetado para revolucionar o fluxo de trabalho clínico O Halcyon simplifica e melhora praticamente todos os aspectos dos procedimentos de IMRT volumétrica guiada por imagem. Esse sistema foi criado para ampliar a disponibilidade dos tratamentos de alta qualidade contra o câncer em todo o mundo.

2017 Continuação

10 mil

funcionários

34

locais ao redor do mundo

71

anos de inovação

Ser um cidadão corporativo responsável não é uma opção; é um modo de vida.

— Dow Wilson, CEO

A tecnologia sozinha não é capaz de derrotar o câncer. Nós precisamos de você.

Explorar as carreiras